Paróquia de São Joaquim e Sant’Ana – Autazes

Endereço: Rua Júlio Lobo, nº 79 – Centro

Cep: 69240-000 – Autazes – AM

E-mail: [email protected]

Fone: (92) 99499-8058

Pároco: Pe. Francisco Level de Lima

Vigário: Pe. Manoel Santana Paes Cardoso

 

Secretária Paroquial: Franciane Campos de Lima

 

Horários das Celebrações:

Domingo: 8h00 e 19h00 – Igreja Matriz

Terça-feira: 19h – Igreja Matriz

Quarta-feira: 19h – Comunidade N.S. Aparecida

Quinta-feira: 19h – Comunidade São José

Sexta-feira: 18h – Comunidade São Pedro

Sábado: 18h – Comunidade São Sebastião

Sábado – 19h – Comunidade Santa Luzia

Horário de atendimento na Secretaria Paroquial:

Segunda à Sexta: 08h – 11h / 14h – 17h

Sábado: 8h – 11h

HISTÓRICO

Em 1755, quando o Brasil ainda era império, o Estado do Amazonas passou por uma divisão politica intermunicipal, fazendo com que este território que hoje é o município de Autazes pertencesse parte dele ao município de Borba e parte dele ao município de Itacoatiara.

Na segunda metade do século XIX, após o histórico movimento da Cabanagem que teve na região dos Autazes um dos palcos sangrentos dessa luta, várias famílias vindas de outras regiões do Brasil e até do Peru, chegaram a região dos Autazes, como era conhecido essa faixa de terras entre o Rio Madeira, Rio Solimões e o Rio Amazonas.

Todas essas famílias traziam consigo a religiosidade tradicional de seus lugares e de seus familiares que quase na sua totalidade eram católicos, devotos de algum santo, com conhecimento das orações , terços, ladainhas, procissões e alguns sacramentos como batizados, casamentos e missas.

Essa bagagem religiosa trazidas de lugares distantes e distintos foi o embrião da fé católica nessa região que logo ganhou um forte aliado: O Sindicato Agropecuário Autazense, fundado em 18 de Agosto de 1923, no lugar Santa Amélia, Autaz Mirim e depois de ter comemorado o 1° e o 2° aniversários em dois lugares diferentes, chegou afinal a este lugar denominado Vida Nova, adquirido por compra do Sr. Aquilino Barros, ainda em 1925.

Por votação em assembleia (conforme documento do Sindicato Patronal de Autazes) ficou decidido que o santo protetor do sindicato seria São Joaquim por considerarem que era o santo do dia 18 de agosto, data da fundação do sindicato.

Logo que começaram os trabalhos do sindicato na construção da vila de Ambrósio Ayres , como era chamado o distrito onde foi erguida a Vila, construíram também uma Capelinha, coberta de palha de babaçu, cercada de madeira, nas proximidades de onde na época ficava o Fórum de justiça. Anos depois a Capelinha foi erguida na parte central do espaço onde hoje é a Praça Otaviano de Melo, nas proximidades do barranco, bem na frente da vila. Quando o Município de Autazes foi criado em 1955, era essa a capela de São Joaquim onde em torno dela era realizados os festejos do padroeiro, que começaram ainda na década de 1930 e já tinha se tornado tradicional na região, embora os festejos não tivessem muitos dias de duração como hoje.

Nas décadas de 1920 à 1940 as esporádicas visitas de padres eram da Prelazia de Itacoatiara, dentre os mais frequentes foram os Padres Alcides Peixoto e Joaquim Pereira, que vinha até a vila sempre no período dos festejos.
Durante a década de 1950 e metade da década de 1960, as visitas sacerdotais que a capela de São Joaquim e outras comunidades ribeirinhas recebiam, eram de Padres vindos da Paróquia de São Raimundo Nonato, bairro de São Raimundo, Manaus, que no período da cheia faziam uma visita anual baixando o Rio Amazonas e subindo o Paraná do Autaz Açu, retornando a Manaus pelo lago do Araçá, no Rio Mamori.

Ainda durante a década de 1950 antes mesmo da criação do município em 1955, a comunidade católica de Autazes ergueu uma nova capela exatamente onde hoje se encontra a estátua de Jesus Cristo, na segunda metade da Praça Otaviano de Melo. Essa capela era toda em madeira de lei coberta com alumínio, pintada de branco com as vistas da porta e das janelas de cor azul.

Na segunda metade da década de 1960 quando os Frades Franciscanos haviam assumido a paróquia de Nova Olinda do Norte, começamos a receber os Franciscanos TOR (Terceira Ordem Regular), de origem Norte americanos, entre eles, Frei Pedro, Frei Samuel e Frei Firmino que estavam atuando na Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré em Nova Olinda do Norte.

Em 1971, a Prelazia de Borba determinou que a igreja de São Joaquim, deveria ter um Padre definitivo, morando em Autazes. Então ainda no primeiro semestre de 1971 chegou em Autazes o Padre Tiago, de origem francesa, com uma certa experiência em comunidades da região dos canaviais em Pernambuco, o qual ficou por mais de vinte anos em Autazes. Nessa época o Bispo Prelado de Borba era D. Adriano que deu todo apoio a nossa comunidade, trabalhando para que fosse criada a Paróquia de São Joaquim.

A partir da década de 1970, começou a ter a Procissão Fluvial de Entrada que é a abertura dos Festejos, no dia 6 de agosto. O trajeto dessa Procissão começava no porto da cidade, descia até a fazenda do Sr. Walberto Sampaio (Beto Sampaio) e retornava para a cidade.

No inicio da década de 1970 a comunidade católica de Autazes havia iniciada a construção da Nova igreja de São Joaquim, em lugar definitivo, em alvenaria, com apenas uma Torre onde ficava o sino e o autofalante utilizado para informativos da Igreja e nos Festejos do Padroeiro.

Em 1973 ocorreu uma conversa entre o Padre Tiago e o Sr. Ivan Ether, que naquela época era Presidente da Câmara de Vereadores, sobre a solicitação do quarteirão, entre a Av. 20 de Dezembro, Rua Costa e Silva, Rua Júlio Lobo e Rua Castelo Branco, onde está situada a Igreja, o Salão Paroquial, o Chapéu de Palha, e a atual Secretaria da Paróquia.
Em 1976, por incentivo do Padre Tiago a Comunidade construiu a Quadra da igreja como sempre foi chamada essa quadra que fica aqui atrás, onde sempre foram realizados os arraias de aniversário da Paróquia que era o pontapé inicial dos festejos de São Joaquim além, é claro, dos jogos de futebol de salão e vôlei que atraía um público imenso. Entre os anos de 1977 e 1978 a Igreja passou por uma reforma na sua estrutura, passando a ter três frentes, considerado um grande avanço na época para os padrões econômicos da comunidade.

Finalmente em 26 de julho de 1979 a Paróquia de São Joaquim e Santa Ana foi criada pela Prelazia de Borba, tendo como seu primeiro pároco o Padre Tiago, que foi o grande responsável pelo fortalecimento da fé católica em Autazes, principalmente por seus Sermões diretos e indiretos, com o dedo da ferida do problema que viesse por suas consequências ferir a dignidade de qualquer ser humano de nossa comunidade.

A partir da criação da Paróquia, em 1979 a Procissão Fluvial de Entrada dos Festejos, passou a ter o seguinte trajeto: Saída do porto da cidade até a comunidade São Félix no posto Indígena Barbosa Rodrigues onde fica a Capelinha de Santa Ana, que na vida foi esposa de São Joaquim e que são os pais de Nossa Senhora. De lá a Procissão retorna com as imagens de São Joaquim e Santa Ana até o Porto da cidade iniciando os festejos dos Padroeiros.

Antes mesmo de ser criada a Paróquia, o Padre Tiago já havia criado o Conselho Paroquial para cuidar da organização dos Festejos e do Patrimônio da igreja. Dentre os que fizeram parte desse primeiro conselho foram: Emanuel Cavalcante Cruz, Celina Melo, Milton Brandão da Cunha, Hustenil Brandão da Cunha, Walberto Nogueira Sampaio, Doca Sampaio, Elmar Tupinambá, João Batista Nascimento de Andrade, Vandete Guimarães, além de outros que não encontrei registros.

Aos 36 anos de existência da Paróquia de São Joaquim e Santa Ana, passamos por vários momentos de altos e baixos, até sem padres ficamos um período. Porém a fé católica de nossa comunidade nunca foi abalada, muito pelo contrário, cada vez que tínhamos um obstáculo a superar nós nos renovávamos e nos fortalecíamos na fé. Na década de 1980, por um esforço da comunidade chegaram em Autazes as Irmãs de São José, que por mais de uma década desenvolveram um trabalho missionário maravilhoso, ajudando a divulgar o evangelho de Cristo e a prática religiosa cristã.

No final da década de 1980, o Padre Tiago foi embora, vieram outros padres: Padre James, Padre Pedro, Frei Paulo, Padre Marcos, Padre Jurandir. Com a chegada do Padre Jurandir foi concluída a nova igreja de São Joaquim e Santa Ana , que havia sido começada ainda na administração do Padre Tiago, no formato atual. Nessa época o presidente do Conselho Paroquial era o Sr. Odemar Souza. Padre Jurandir e o Sr. Odemar não mediram esforço na construção da nova igreja de São Joaquim e Santa Ana. Depois vieram ainda outros padres, como o Padre Jesus, Padre Reneu, Padre Geraldo, Padre Luiz e finalmente tivemos a graça de termos nosso primeiro Pároco filho de Autazes, Padre Francisco Level, que teve suas ordenações Diaconal e Sacerdotal na Própria Paróquia.
Com a nomeação de Padre Francisco como pároco, tivemos a revitalização da igreja em 2013, a reconstrução da Secretaria da Paróquia, a reconstrução da Casa Paroquial, com a ajuda da Comunidade Católica de Autazes, que sempre respondeu positivamente a cada convite e cada pedido do Padre Francisco.

Hoje a Paróquia de São Joaquim e Santa Ana ampliou seu atendimento missionário pela Zona Rural de nosso município, com a presença de nossos Padres nas Vilas de Urucurituba e Novo Céu. Mensalmente outras comunidades são visitadas, além da Missa de Domingo que é transmitida pela Rádio Autazes FM, atinge todo o interior de nosso município com a palavra de Deus aos lares de nossas comunidades nas ondas do rádio.
Durante a administração paroquial de Padre Jurandir, foi criado o projeto da casa de apoio as crianças carentes de nossa comunidade, a “LUZ DA INFANCIA”, que na época era comandada pelas Irmãs de São José, em seguida veio as Irmãs Humildes Servas da Rainha do Amor, e até hoje com a Graça de Deus, presta esse serviço comandada pelas Irmãs Dorotéias Frassinetti.

Em 2004 a Paróquia de São Joaquim e Santa Ana recebeu a visita de sua filha e padroeira do Brasil: Nossa Senhora de Aparecida, que numa peregrinação comovente e emocionante congregou toda a comunidade católica de Autazes na sua trajetória. Em 08 de agosto de 2015, nossa Paróquia recebeu novamente a visita de Nossa Senhora Aparecida, filha de nossos padroeiros, que sem dúvida foi um momento marcante de nossa fé e de nossa missão evangelizadora.

Nossa Paróquia ao completar 41 anos já tem um pouco de história, de vitórias e de desafios que nos colocam como protagonistas de uma nova realidade, de uma nova caminhada na fé, na esperança, na fraternidade e na solidariedade. Que nossos Padroeiros São Joaquim e Sant`Ana abençoem a cada dia nossas famílias, nossos lares e nossa comunidade e nos conduza na fé inabalável de cristãos católicos e apostólicos renovados e revitalizados com Cristo e em Cristo, Amém.

Registro: MÁRIO FERNANDO FRAGATA DA CUNHA

Página no facebook

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Posts Relacionados

Nos Envia uma Notícia