Dom Elói Roggia, SAC – 3º Bispo de Borba

Dom Elói Roggia nasceu aos 16 de setembro de 1942, em Faxinal do Soturno, no Rio Grande do Sul. Filho de Amadeo Roggia e Adelaide Rosso Roggia. É o 7º filho entre 13 irmãos. Dos filhos, 6 abraçaram a Vida Religiosa: Um é irmão religioso palotino; outro é padre Palotino (já falecido) e Dom Elói. Das irmãs, uma é religiosa das irmãs palotinas e duas são irmãs religiosas das irmãs do Coração de Maria.

Em 1954, com pouco mais de 11 anos de idade Dom Elói ingressou no Seminário São José, em Faxinal do Soturno, onde completou o estudo primário. De 1956 a 1959 fez o 1º grau na Escola e Seminário Rainha dos Apóstolos, em Vale Vêneto/RS. De 1960 a 1962 fez o 2º grau em São João do Polêsine/RS. Em 1963 fez o 1º ano de Noviciado, em Augusto Pestana/RS. De 1974 a 1970 cursou a Faculdade de Filosofia e Teologia freqüentando as aulas no Colégio Máximo Palotino, hoje FAPA (Faculdades Palotinas), em Santa Maria/RS. Em 1970 interrompeu 1 ano de estudo para trabalhar no Seminário Menor de Palotina, inaugurado neste ano.

Aos 19 de dezembro de 1971 recebeu a Ordenação sacerdotal das mãos de Dom Bruno Maldaner, em Caiçara/RS.

Seu primeiro trabalho pastoral, no ano de 1972 foi no Seminário Menor São José em Faxinal do Soturno. Em 1973 foi pároco da Paróquia São Roque, sua terra natal. Neste mesmo ano recebeu o convite para iniciar a Missão palotina na Amazônia.

De 1974 a 1982 trabalhou na Missão palotina no Estado do Amazonas, sendo 1 ano em Manaus e no Rio Negro e 8 anos como pároco da Paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição, em Anori, Prelazia de Coari/AM.

De 1983 recebeu o convite para um novo desafio pastoral: trabalhar no norte de Rondônia, em Ariquemes, como pároco da Paróquia São Francisco de Assis, Arquidiocese de Porto Velho. De 1990 a 1995 trabalhou como pároco da Paróquia São Roque, em Coronel Vivida/PR. Fazendo parte também do Colégio de Consultores da Diocese de Palmas e Francisco Beltrão.

De 1996 a 1998 foi Ecônomo provincial da Província palotina de Santa Maria/RS e representante do setor de Economia junto ao Generalato, em Roma.

De 1999 a 2005 foi pároco da Paróquia São Vicente Pallotti, em Palotina/PR, fazendo parte do Conselho de Pastoral da Diocese de Toledo, sendo coordenador do Decanato de Palotina e de vários setores pastorais.

Em 2006, de fevereiro até o dia 03/05/2006 o Dom Elói ainda estava trabalhando em Coronel Vivida/PR. Diocese de Palmas e Francisco Beltrão, exatamente no dia 14/07/2006, foi nomeado Bispo Prelado de Borba.

No dia 14 de julho do mesmo ano, na Paróquia São Vicente Pallotti, em Palotina, foi ordenado bispo, pelas mãos de Dom Anuar Battisti, Dom Francisco Carlos Bach e Dom Gutemberg Freire Régis, CSSR.

Em 20 de setembro de 2017 foi aceito seu pedido de renúncia e ele se tornou bispo emérito de Borba.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Posts Relacionados

Nos Envia uma Notícia